As 5 ‘não regras’ para você começar a meditar

de 05/06/18 em Dicas que Curam, Espiritualidade, Feng Shui da Vida Real

Não existem regras para a meditação. Na verdade, tem muita gente criando regras e condições e causando ainda mais estresse para quem tenta se aventurar nessas práticas tão antigas quanto o homem.

Tenho visto muita gente dizendo que meditar é muito difícil, que ‘não dá para a coisa’, que tem a mente muito agitada e por aí vai. Ainda que esse seja, de fato, o estado em que a pessoa se encontra, isso não é empecilho para meditar.

Empecilhos mesmo são os mitos e algum tipo de idealização que foi criada e que vive sendo reforçada pelos ‘especialistas’ no assunto.

Por isso eu quero contar para você quais são as maiores bobagens que eu escuto sobre o assunto. Espero mesmo ajudar você a relaxar!

A mente vazia: pra começar, não existe essa coisa de ficar sem pensar em nada. Isso é a maior bobagem que eu ouço. Comprovar essa afirmação é muito simples: para alguém saber que não está pensando em nada, precisa pelo menos pensar nisso.  E basta alguém falar ‘Esvazie a mente’ para imediatamente os pensamentos se agarrarem com toda força. Observar os pensamentos é necessário até para você se conhecer. Saber qual é a natureza deles, a frequência com que aparecem, em quais assuntos vive se engajando. Apenas não fique preso a nenhum deles. Tente assistir aos pensamentos que aparecem, como se visse um filme. Apenas observe.

Postura: a postura de lótus, padmasana, é uma pose clássica usada pelos hindus. Mas não é a postura que vai garantir o sucesso da sua meditação. Ninguém precisa cruzar uma perna sobre a outra, o que pode, inclusive, prejudicar os joelhos. Aliás, para uma pessoa que não pratica exercícios físicos, o corpo é o primeiro a ‘reclamar’, antes de os pensamentos começarem a torturar. Não tem problema nenhum sentar numa cadeira ou ficar encostado numa parede. Basta deixar as costas eretas e os ombros relaxados.

Duração: quando pego dicas de meditação é comum ler ‘comece com 5 minutos e, aos poucos, vá ampliando para 45 minutos, 1 hora.’. Eu pergunto: pra quê? Quem disse que meditar tem um tempo certo? Por acaso, estamos assando um bolo?  A duração não é importante. Uma das minhas meditações preferidas, a Soul Sync, dura cerca de 12 minutos. Se uma pessoa consegue atingir um estado de relaxamento e permanecer nele, é o que importa. O tempo aqui não vale nada. E para mim, o pior de ler dicas como essa ‘Medite por uma hora’ é que isso tira completamente a motivação de quem gostaria de praticar meditação, pois provavelmente não consegue encaixar ‘uma hora de meditação’ na rotina lotada.

Meditar a qualquer hora: estão ficando mais frequentes os relatos de pessoas que praticam meditação antes de provas ou reuniões e que se sentiram mais relaxados, seguros e obtiveram êxito em seus objetivos. Mas eu já vi gente meditando durante reuniões ou conversas, como se isso demonstrasse algum grau de elevação espiritual. Pra mim, isso só demonstra falta de educação.

Resultado: são conhecidos inúmeros benefícos da meditação, como o relaxamento em si, a diminuição do fluxo de pensamentos recorrentes, melhora da saúde, maior clareza mental, alegria, despertar do sentimento de conexão, entre outros. Mas isso acontece de maneira diferente com cada pessoa. Em vez de ficar focando nos resultados, curta a experiência. Caso contrário, não será meditação, será apenas esforço.

 

Foto: Shutterstock

Comente aqui!

* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado. Quer que a sua foto apareça nos comentários? Clique aqui.