Estressado? Ligue para alguém

de 19/10/20 em Dicas que Curam, Notícias, Stress Detox

O estresse, um dos temas mais presentes em pesquisas relacionadas à saúde, tem sido objeto de inúmeros estudos sobre comportamento e saúde mental durante a pandemia.

Em todos, pesquisadores mostram que estamos, sim, muito mais estressados. 

Mas um estudo realizado pela Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, trouxe dados de como é possível reduzir os efeitos do estresse.

O resultado é da linha “minha avó já sabia”: pessoas que fizeram um balanço das suas emoções, identificando tristeza, ansiedade, medo, solidão, por exemplo, e tentaram lidar com elas de uma maneira consciente, demonstraram menores níveis de estresse do que aqueles que simplesmente tentaram ignorar os sentimentos.

Como? Manter contato com amigos e familiares, ainda que de maneira remota, foi um dos comportamentos identificados como positivos.

A pesquisa “Flexibilidade Psicológica no contexto da adversidade da Covid-19: Associações com angústia”, publicada no Journal of Contextual Behavioural Science, avaliou diversos tipos de comportamento adotados para lidar com situações derivadas da pandemia e encontrou respostas interessantes.

Resumo da pesquisa

Participantes: 485 adultos

Desafios: dificuldade em pagar moradia, dificuldades em pagar pelas contas de consumo, perda de renda, ficar longe da família

Experiências de situações decorrentes da pandemia: sudorese, taquicardia, medo, ansiedade

Resultados: os que se mostraram mais propensos em admitir as emoções e que estavam dispostos a lidar com elas, o que os pesquisadores classificaram como ‘abertura, atenção ao comportamento e ação’ demonstraram menores níveis de estresse.

Destaques dos resultados:

O que ajuda a reduzir o estresse

  • Flexibilidade 
  • Exercitar atenção às emoções que estão surgindo
  • Encontrar soluções para manter contato com amigos e membros da família
  • Fazer o que realmente importa mesmo em épocas desafiadoras
  • Adaptar-se às situações
  • Manter atitude positiva

Esse último aspecto fez a diferença nos resultados do estudo. Os pesquisadores ressaltam que os benefícios apareceram apenas quando a ação vem acompanhada de boa disposição mental. “Se está em contato com sua família remotamente em vez de pessoalmente, mas está ressentida com a situação e lamenta o tempo todo, isso só vai causar mais angústia”, explicou Emily Kroska, professora assistente de Psicologia Clínica da Universidade de Iowa.“Não é exatamente como gostaria, mas vou fazer o melhor que puder”, completa.

Silêncio intermitente: crie espaços na sua rotima para praticar essa poderosa ferramenta de limpeza mental

de 18/08/20 em Dicas que Curam, Espiritualidade, Stress Detox

Você provavelmente já ouviu falar em jejum intermitente, quando o corpo não recebe alimento durante longos períodos de tempo a fim de promover a limpeza do organismo e a renovação celular, entre outros benefícios.

Pois ficar em silêncio por alguns períodos de maneira intencional pode trazer benefícios parecidos para a mente.

A prática do silêncio é comum em várias religiões, mas passa bem longe da rotina das pessoas que não vivem em reclusão.

Nas duas vezes que estive na Índia, fazendo longos cursos de autoconhecimento, os professores recomendavam a prática do silêncio, Mauna, na filosofia hindu. Na ioga, a prática é conhecida como jejum verbal. 

Ficar em silêncio ajuda a não tirar o foco dos processos internos iniciados com os exercícios de ioga, meditações, exercícios respiratórios, entre outros. 

Também é bem conhecida na cultura hindu a prática dos 4 tipos de jejuns, ou 4 Langhanams: de comida, respiração, movimento e fala.

Ou seja, a prática do silêncio e seus benefícios estão bem documentos há séculos.

Mas hoje li no blog Real Simple a expressão ‘Jejum Intermitente’ e achei uma ótima maneira de resgatar a ideia de uma maneira simples, mas ainda eficiente.

Ficar sem falar muitas vezes é associado à punição. Provavelmente na infância, todos já ficamos ‘de castigo’, sem poder pronunciar uma palavra. Na escola também o silêncio era imposto e quebrá-lo era indisciplina.

Também é comum a ideia de que falar ajuda a aliviar o sofrimento, que ajuda a tirar um peso dos ombros. 

Se a ideia de ficar quieto soa desconfortável, encare o silêncio como uma prática meditativa, como muitas outras conhecidas.

Como praticar

  • Sente-se em silêncio, saia para caminhar ou sente-se em algum lugar na natureza. 
  • Escolha ficar em silêncio quando for possível. Não tente praticar o silêncio quando estiver realmente ocupado. Isso só trará mais aborrecimentos
  • Se possível, estabeleça um período de silêncio coletivo em casa. A experiência pode envolver as crianças e trará resultados positivos para todos
  • Ficar em silêncio pode ser especialmente benéfico quando estamos passando por alguma crise ou precisamos tomar uma decisão importante. 
  • Após cursos de autoconhecimento, sessões de meditação, leitura, ficar em silêncio pode ajudar a aprofundar os aprendizados, abrindo espaço para insights 
  • Pensamentos negativos e sensações desconfortáveis podem aparecer. “O silêncio inicialmente amplifica o barulho do nosso mundo interno, o que normalmente é eliminado pelo barulho do nosso mundo externo. Quanto silenciamos os batulhos externos, pensamentos e sentimentos que estavam sob a superfície parecem mais altos e mais evidentes:, disse Jamie Price, criado do app MyLife ao blog Real Simple.
  • Defina o tempo que funciona para você. Desista de seguir recomendações sobre a duração da prática. O seu melhor guia é você mesmo
  • Se preferir recorra a aplicativos para praticar ou apenas faça. Se tiver algo importante para fazer, programe um período com ajuda do celular (timer) ou apenas mergulhe no silêncio pelo tempo que for confortável pra você

Benefícios

  • Acalma a mente. Simplesmente pelo fato de oferecer pausa aos milhares de estímulos que recebemos diariamente. Descansar o cérebro também é importante e isso precisa ser feito não apenas enquanto dormimos
  • Ajuda a manejar emoções pois o silêncio proporciona um valioso exercício de autoconhecimento. É o mesmo que parar para observar a sua paisagem interna. Sabendo o que se passa dentro de você, provavelmente terá menos reações automáticas e responderá de maneira mais sábia aos desafios
  • Reduz a ansiedade de estar constantemente engajado em alguma atividade ou em contato com outras pessoas
  • Melhora o discernimento de quando falar e quando manter-se em silêncio. Muitas vezes falamos apenas para preencher o vazio numa conversa ou para provar algo para alguém. Ou seja, ficar em silêncio melhora nossa capacidade de comunicação
  • Cria espaço para manifestação da criatividade
  • Melhora a habilidade de escutar nossa intuição